30
Jan
09

Porquê “Dopar” o seu frigorífico (parte 2)

VENTILAÇÂO
Torna-se necessário verificar, com atenção, se as janelas de ventilação estão livres se a caixa de ar entre a parede e o frigorífico é suficientemente grande para conter um volume de ar considerável se a circulação do mesmo se faz de forma livre. (Se o ar quente sobe e sai com facilidade dando lugar a outro fresco vindo do exterior.).
Tem de se ter especial atenção à traseira do frigorífico quando na posição (encostado) se está isolado do interior ou seja, que não permita que pelas paredes laterais e de fundo o ar quente do interior se venha intormeter no ar frio que entrar, reduzindo a sua função de “arrefecimento”.
Podemos ajudar a circulação do ar montando um sistema de ventilação na saida do ar quente, acelerando desta forma a saida do mesmo e a entrada do ar fresco em maior volume e velocidade.
GÀS
Os problemas de gás quando não são devidos à instalação, são geralmente provocados por manutenção insuficiente ou defeitruosa.
Pode acontecer que a qualidade do gás ou um bico parcialmente entupido condicione a qualidade da chama. Devemos de tempos a tempos dar uma vista de olhos à cor da chama, (se for muito amarela é sinal de que o queimador pode estar engordurado).
O calibrador do queimador é uma pequena peça que tem no centro um furo calibrado e, como tal entope fácilmente. Pode ser retirado e limpo, mas, utilize sempre a ferramenta adequada para não alterar o dâmetro do furo que irá por sua vez alterar a condição da chama.
OS TÉCNICOS RECOMENDAM A SUBSTITUIÇÃO DO CALIBRADOR DO QUEIMADOR DE DOIS EM DOIS ANOS.
Os frigoríficos são de uma grande fiabilidade. É vulgar encontrar autocaravanas com dez anos e terem ainda o seu frigorífico de origem.
A evolução é feita sobretudo ao nível dos acessórios (quer na forma de acender, isolar e ventilar etc.) mas, o princípio é o mesmo: De absorção ou compressão os problemas vêm geralmente da necessária manutenção que a maioria das vezes não é feita pelo utilizador.
Assim, recomendam-se 10 conselhos a ter em conta:
-Atenção à alimentação a 12V.
-Assegurar uma boa ventilação, não permitindo a entrada de ar quente do interior.
-Se tal se tornar necessário, ajude a circulação do ar colocando um ventilador.
-Ter as grelhas de arrefecimento sempre orientadas para a direcção do vento, protegendo-as, abrindo o toldo.
– Grelhas há em certos modelos que ficam bloqueadas com a porta da célula quando aberta. Monte um limitador para que tal não aconteça.
-Regularmente retire e limpe as grelhas de arrefecimento.
-A porta do frigorífico deve estar o menor tempo possível aberta.
-Verificar se a junta da porta não se encontra danificada permitindo a entrada de ar quente.
-Nos frigoríficos AES controle a temperatura indicada para cada câmara.
-Se a temperatura exterior for de tal forma alta que leve a temperatura interior do frigorífico a não baixar dos 15ºC, coloque gelo na gaveta dos vegetais e lentamente verá a temperatura descer.

Anúncios

0 Responses to “Porquê “Dopar” o seu frigorífico (parte 2)”



  1. Deixe um Comentário

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: